5 dicas para garantir o sucesso da adubação nitrogenada em suas áreas de pastagens

Tempo de leitura: 4 minutos

Como dissemos em nosso post sobre como aproveitar melhor as áreas de pastagem de sua fazenda, um dos grandes cuidados que o pecuarista deve ter em sua atividade é com suas áreas de pasto. Afinal de contas, é dali que todo o ciclo produtivo da pecuária de corte se inicia.

E pensando no aumento da produtividade dos seus pastos, uma excelente alternativa – apesar de ainda não muito praticada no Brasil – é a adubação. Um pasto adubado irá produzir mais folhagem, garantindo assim um maior número de animais em uma mesma área. E isso pode significar mais animais em seu rebanho, sem a necessidade de expandir a fazenda.

Quando falamos em adubação de pasto, logo pensamos em adubação com nitrogênio, pois este nutriente possui maior resposta em curto prazo de seu pasto, assim trazendo o melhor retorno de custo-benefício dentre os adubos existentes.

Para garantir a correta adubação de seus pastos, você produtor, deve tomar alguns cuidados:

Parcelamento da dose de adubo

O principal quando falamos de adubação de pasto com nitrogênio é o seu parcelamento. Ou seja, é a divisão da aplicação em doses menores e mais frequentes. Estas aplicações devem ser na faixa de 60 kg N/ha, pois valores acima desta já possuem altas perdas no solo. Desta maneira, podemos trabalhar com 3 a 6 aplicações (60 kg N/ha) por ano, totalizando de 180 a 360 Kg N/ha/ano.

Aplicação anteriormente à chuva

Devido aos adubos de nitrogênio, como a ureia, possuírem altas perdas para a atmosfera, não é interessante que a adubação seja feita em um período seco. Sendo assim, a melhor situação para você produtor, é acompanhar a previsão de chuva de sua região, e fazer a distribuição do adubo de um a dois dias antes de uma pancada de chuva. Chuvas acima de 15 mm já são suficientes para dissolver os grânulos do adubo e assim fazer a incorporação no solo, reduzindo perdas e assim aumentando a resposta econômica.

Importante: não faça a aplicação em solo úmido, pois a umidade do solo não será capaz de incorporar o adubo no solo, e além disso aumentará o processo de perda para o ambiente.

Portanto, em resumo: a melhor situação para adubar seu pasto é aplicar o adubo em solo seco, e a aplicação ser seguida por uma pancada de chuva.

Distribuição uniforme

A distribuição do adubo também possui grande importância quando falamos em adubação. É necessária uma distribuição uniforme, para que o crescimento padrão do capim aconteça em toda sua área de pasto. Isso vai facilitar o manejo dos piquetes e o ajuste do número de animais em cada um deles.

Período de descanso

Após a correta aplicação do adubo, ainda é necessário tomar algumas precauções, como a vedação do piquete adubado. Quando adubamos, o capim demora alguns dias para começar a responder, e com isto devemos dar um tempo de descanso para a planta, retirando os animais por um período, até atingir uma altura desejada para iniciar o pastejo pelos seus animais.

Desta maneira o capim possui maior resposta à adubação, pois conseguiu absorver o nitrogênio e com isso produzir maior massa de forragem, sem sofrer o estresse do pastejo neste período de crescimento, o que o torna mais vigoroso.

Anotações

Por fim, mas de grande importância também, é a anotação das suas adubações, seja no papel, seja no computador. Isso garantirá maior controle desta operação e evitarão erros como uma adubação subsequente a outra, para propriedade com grandes áreas ou subdivididas em pequenos piquetes.

Além disto, ao final da estação chuvosa, podemos calcular a quantidade total de adubo por piquete, e o total da fazenda, facilitando o manejo do próximo período, tanto no momento da compra, quanto na aplicação, permitindo a cada ano o ajusto pelo proprietário.

Conclusão

Desta maneira resumimos o manejo desta adubação principalmente parcelando a dose, seguido de uma boa aplicação, uniforme, em solo seco e com pancadas de chuva pós-aplicação. Sempre devemos deixar o pasto descansar, sem animais, nas semanas após a adubação, e claro, não se esqueça de anotar todos as adubações e quantidades.

Com estas 5 dicas você irá garantir o maior aproveitamento desta adubação, e com isto maior retorno econômico!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *