Quais são os dados que eu preciso coletar para conhecer de verdade os resultados da minha fazenda?

Tempo de leitura: 6 minutos

Quem não anota as informações referentes à sua atividade pecuária, não consegue medir nem avaliar a eficiência de nada. Afinal, precisamos de números para enxergar onde estamos e para onde devemos ir, para produzir de forma mais eficiente.

Hoje, se procurarmos quais são as informações e indicadores para mensurar e acompanhar a gestão da fazenda, teremos inúmeros dados para coletar e analisar do ponto de vista produtivo, reprodutivo e de produto, dependendo do sistema produtivo utilizado (cria, recria, engorda, ciclo completo). São exemplos de indicadores a produção de arrobas por hectare ao ano, a taxa de desfrute, o ganho médio diário (à pasto e em confinamento), a lotação, a mortalidade, o índice de prenhez, a taxa de desmame, o peso médio ao desmame, a relação de desmame, quilos de bezerro desmamados por vaca exposta, período de serviço, ganho de carcaça líquida, conversão alimentar, entre diversos outros.

Ok, mas de início, para termos um ponto de partida… Será que isso tudo é mesmo necessário? Como conseguir calcular tudo isso de uma vez?

A atividade pecuária como qualquer outro projeto, precisa ter metas e objetivos bem claros para que cada processo executado traga um resultado concreto e eficiente para auxiliar nas tomadas de decisão. Assim, para iniciar a avaliação da eficiência de sua propriedade, quatro informações são necessárias para se medir e planejar as atividades da fazenda, são elas:

O Desembolso, ou seja, qual o valor gasto por cabeça/mês, em R$/cabeça. Tendo-se o gasto total dividido pelo número de animais ativos na fazenda no período.

O Ganho diário, ou seja, qual é o ganho global de todas as categorias na fazenda, em kg/cabeça/dia.

O Valor de venda, atribuído pelo mercado, influencia diretamente no resultado da fazenda. Pode ser dado em R$ por @ ou por kg.

A Lotação, ou seja, a quantidade de animais ou quilos de peso vivo por unidade de área, dado por cabeça/ha ou UA/ha (UA = 450 kg de peso vivo).

Destes quatro itens, o ganho médio e a lotação são os pontos chaves em eficiência na produtividade, uma vez que podem ser alterados através de manejo, nutrição/pastagens de qualidade, genética e cuidados com a sanidade do rebanho.

Já o desembolso dependerá de cada fazenda, pois cada propriedade tem um tipo de operação e demanda custeios e investimentos específicos para seu desenvolvimento.

O valor de venda, em kg ou @, depende diretamente do mercado e do produto final oferecido pela propriedade, seja este o bezerro desmamado, o boi magro ou o boi gordo. Hoje, ainda é um parâmetro que sofre com flutuações sazonais, devido às variações do ciclo da pecuária, como demonstrado no fluxograma abaixo.

Fonte: https://cloud.cnpgc.embrapa.br/cicarne/2020/05/20/ciclo-da-pecuaria/

Como a pecuária de corte é uma atividade produtiva de ciclo longo, essas variações acontecem lentamente, devido às mudanças em oferta e demanda do produto, o que acaba resultado em variações no preço pago do kg ou @ comercializada.

O zootecnista Antonio Chaker El-Memari Neto que atua intensivamente há anos com métricas na pecuária de corte, produzindo anualmente um benchmarking com base nas fazendas que atende, aborda a diferença na ordem de importância destes indicadores de acordo com o sistema produtivo utilizado.

Em fazendas de cria, o primeiro indicador chave de resultado da fazenda é o desembolso por cabeça ao mês, já que os custos com a manutenção das fêmeas que permanecem por vários ciclos produtivos precisam ser medidos e avaliados dentro da fazenda. Em seguida, o GMD global é outro forte indicador dos resultados, visto que o produto comercializado neste sistema é o bezerro desmamado. Já em terceira e quarta posição, ficam os indicadores de valor de venda e lotação.

Para as fazendas de ciclo completo, a ordem de importância é similar à do sistema de cria, devido à manutenção das fêmeas que permanecem ativas na fazenda gerando custos, e também ao desempenho dos animais que serão produzidos e comercializados para o abate.

Já em sistemas de recria e engorda isolados, dois indicadores apresentam mesmo grau de importância no resultado da fazenda, são eles o GMD e o desembolso por cabeça ao mês. Isso porque o desempenho dos animais produzidos é tão importante quanto os custos que eles têm no período de criação na fazenda. Os demais indicadores seguem na sequência em valor de venda e lotação. Neste caso, é importante também avaliar o desempenho dos animais de forma conjunta, ou seja, avaliar o GMD e a lotação, para produzir eficientemente em número de animais, com bom desempenho por determinada área.

E como o JetBov pode te ajudar nessa jornada?

Alimentar o sistema com as informações pertinentes à produção dos animais e o manter atualizado diariamente com as atividades da fazenda é o primeiro passo para visualização destes números.

O relatório de “Resultado por mês” traz as informações de receitas obtidas com venda de animais e os custos da fazenda com compra de animais, realização de manejos sanitários (medicamentos, vacinas, entre outros) e nutricionais (suplementação, dietas), custos indiretos (salários, contas fixas da fazenda) e o custo de frete na venda dos animais. Estes itens são somados e apresentados em “Total de Custos” por mês.

Já o relatório de “Movimentações por mês” traz o número de animais ativos na fazenda no período.

Estes dois números vão possibilitar a realização do cálculo do DESEMBOLSO (R$/cab) por mês.

Hoje no painel principal, temos apresentado o GMD médio, calculado com base no peso total dos animais.

Este indicador precisa ser coerente com a realidade dos animais que estão na fazenda, portanto, é essencial realizar a pesagem dos animais em determinados períodos para fidelizar que os ganhos sejam de fato a “fotografia” do desempenho atual dos animais.

O controle da lotação, dentro do JetBov, é dado nas áreas demarcadas em Lotes > Gerenciamento de Áreas e Módulos > Editar > incluir UA/ha.

Assim, com os lotes colocados nas áreas demarcadas é possível controlar a lotação conforme o ganho de peso dos animais, visualizando a lotação atual na ficha de cada área.

Como citado anteriormente, o valor de venda é dado pelo mercado, sendo possível realizar a consulta das cotações diariamente através de canais como o CEPEA, Canal Rural, Scot Consultoria, entre outros, que unem todas as informações de acordo com a região de comercialização.

Com a utilização destes quatro indicadores, já é possível identificar em que situação seu sistema produtivo se encontra, para traçar estratégias e planos de ação que precisam ser executados para manutenção ou melhoria dos resultados de seu negócio.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *