Compensa vacinar minhas novilhas contra a diarreia neonatal?

Compensa vacinar minhas novilhas contra a diarreia neonatal?

Tempo de leitura: 10 minutos

Olá amigo produtor que segue o Blog da JetBov.

Você vacina suas novilhas no pré-parto contra as diarreias neonatal? Se você ainda não realiza esse manejo sanitário em suas novilhas ou ate mesmo em suas vacas. Ou se você ainda não tem o conhecimento do motivo dessa prática que pode diminuir bastante a taxa de mortalidade de sua propriedade – continue a leitura conosco que esse assunto é muito importante, inclusive economicamente.

Fonte: foto da JetBov, tirada na fazenda do @rafabalestrinvet

A diarreia neonatal é o maior problema sanitário que possuímos nos primeiros dias de vida do bezerro. É uma das principais causas de mortes de bezerros e consequentemente grandes perdas econômicas, devido à alta taxa de mortalidade relacionada às diarreias neonatal. Estas são causadas pela interação de fatores infecciosos como: bactérias, vírus, protozoários e parasitas, bem como, fatores não infecciosos  (a nutrição, o ambiente, o manejo e as condições sanitárias dos animais). 

A interação desses fatores ocasiona vários níveis de infecção e desidratação, que em muitos casos podem levar o animal a morte, gerando grandes prejuízos.

A diarreia pode aparecer logo na primeira semana ou nas próximas semanas de vida, devido aos agentes infecciosos terem diferentes tempos de ocorrência no animal. As diarreias não acontecem apenas na fase neonatal, elas também ocorrem na outra parte da vida desse animal. A maior preocupação está no período neonatal desse animal (0-30 dias de vida), que é quando esse animal não possui imunidade própria para conseguir se defender desses agentes infecciosos,

Os óbitos de animais com quadros mais severos de diarreia se concentram cerca de 50% no período neonatal e 50% fora do período neonatal (30 a 8 meses de vida). A preocupação com os primeiros dias de vida desse animal, pois é quando acontece a parte fundamental do seu desenvolvimento que definirá toda sua vida produtiva e também onde se concentra grande porcentagem de óbitos em um espaço tão pequeno de tempo.

Sabendo que esses animais nos seus primeiros dias de vida (até 30 dias +/-) estão desenvolvendo e multiplicando as células em seu corpo. Após esses dias não irão mais se multiplicar e apenas aumentarão de tamanho. Portanto se esse bezerro for acometido por algum agente infeccioso, neste período de vida, ele ficará debilitado, perderá nutrientes e perderá bastante liquido, o que irá atrapalhar demais essa multiplicação celular. Consequentemente, esse animal terá um menor número de células musculares, tendo um pior desenvolvimento em sua vida inteira.

Se este animal for comparado com outro de sua mesma genética, que não foi acometido alguma diarreia em seu período neonatal, irá apresentar resultados piores. Pois, o animal acometido com alguma diarreia em seus primeiros dias de vida, desenvolveu um problema na fase em que seu corpo estava se desenvolvendo e multiplicando suas células musculares que – futuramente iriam aumentar de tamanho conferindo maior volume muscular e maior rendimento de carcaça ao animal.

É bastante normal os animais terem diarreia por volta de três a quatro meses de idade, porém, nessa fase eles já estão com sua imunidade bem desenvolvida, estão bem nutridos e demonstrando um bom desenvolvimento. Com isso, podem resistir com mais facilidade a esses fatores infecciosos. O grande problema está no período neonatal que pode causar sequelas para a vida inteira.

Mas por que no período neonatal?

O maior cuidado é voltado para o período neonatal pelo fato do animal recém nascido ter imunidade muito baixa, quase nula, devido a placenta da vaca não conseguir passar para a sua cria anticorpos (imunidade via placenta). Essa passagem de imunidade da mãe para o filho é chamada de imunidade passiva ocorrendo enquanto ele ainda não criou a sua própria. No caso dos bovinos essa imunidade passiva é transmitida por meio do colostro – e ela só é absorvida com eficiência nas primeiras horas de vida, decaindo bastante a absorção após as 6 horas de vida.

É muito importante a ingestão de no mínimo 2 litros de colostro (primeiro leite da vaca após o parto) até 6 horas de vida do bezerro, e mais 4 litros até as próximas 12 horas. Sempre devemos nos atentar a fornecer isso ao bezerro quando ele nascer. Seja de forma natural, ou artificial através de mamadeiras, ou sondas esofágicas.

Sem essa ingestão de colostro, o animal irá ficar sem absorver a imunidade passiva da mãe e ficará muito mais suscetíveis a esses agentes infecciosos, pois ele não terá defesa nenhuma. É recomendado transferir a vaca no pré-parto para um piquete separado, onde após o nascimento será possível observar se ocorreu essa colostragem de forma natural ou se necessário realizar ela de forma artificial com a ordenha do colostro e o fornecimento dele via mamadeira para o bezerro.

E o que posso fazer para o colostro passar uma boa imunidade passiva ao bezerro?

Fonte: https://www.segs.com.br/

É neste momento que entra a importância das vacinas contra as diarreias neonatal. Mencionamos em novilhas pelo fato delas passarem uma menor quantidade de imunoglobulinas (anticorpos) à sua cria. Isso não quer dizer que nas vacas não seja recomendado, se faz muito necessário, ainda mais em locais que sejam recorrentes os casos de infecções.

A aplicação no pré-parto se dá pelo fato de conseguirmos gerar uma maior resposta imune do animal prenhe através das vacinas. Esta resposta imune irá gerar uma boa quantidade de anticorpos para esse animal que ele irá conseguir passar em maior quantidade para a sua cria, gerando um colostro de melhor qualidade em questão de imunidade (*em questão nutricional é necessário uma boa nutrição da vaca prenhe, coisa que também influenciará bastante na quantidade e qualidade da imunidade passada a cria!!).

Isso não acontece apenas com a vacina contra diarreia neonatal, mas também, com a de clostridioses e vermífugos que são recomendados no pré-parto.  Com isso, uma maior e melhor imunidade passiva passará para o bezerro, fazendo assim, com que ele tenha uma resposta imunológica mais eficiente, caso entre em contato com esses agentes infecciosos,  O que pode diminuir drasticamente a taxa de mortalidade de animais neonatos.

Só preciso vacinar no pré-parto e meus problemas acabarão?

Fonte: foto da JetBov, tirada na fazenda do @rafabalestrinvet

Não, infelizmente não será tão fácil assim, a vacina irá sim desempenhar um papel fundamental na proteção desses animais. Porém, como vimos no inicio do texto, as diarreias neonatais são a interação de dois fatores: infecciosos (bactérias, vírus, protozoários e parasitas) e não infecciosos (a nutrição, o ambiente, o manejo e as condições sanitárias dos animais).

A vacina nas vacas e novilhas durante o pré-parto, irá fornecer imunidade passiva para os bezerros combater os agentes infecciosos. Primeiramente da mãe que irá fornecer a imunidade e nutrição desse bezerros (o que irá ditar se será uma boa imunidade e uma boa nutrição é a nutrição da mãe, que se for ruim com certeza será passada uma má imunidade e uma má nutrição). Depois da boa nutrição da mãe, pois é com a boa nutrição desses bezerros, sendo feito no aleitamento desse animal da forma correta.  Para uma boa colostragem, sabemos que o leite da mãe possui traços de colostro até o seu 5º dia.

É importante fazer corretamente o aleitamento desses animais. O ambiente onde esses bezerros estão devem ser locais secos e limpos, pelo fato de se ter uma maior ocorrência de casos de diarreias severas em bezerros em locais úmidos.  Esse local deve ter boa condição sanitária, onde animais doentes devem ser isolados para não contaminarem os demais animais e gerar um surto na propriedade. O ambiente em que este animal doente for ficar deve ser limpo constantemente para não agravar o quadro do animal e para não contaminar o local. Desta forma,  o manejo deve ser feito de forma cautelosa.

O treinamento dos profissionais é essencial, desde ter o cuidado para transferir o animal prenhes para um piquete com sombra e agua limpa no pré-parto, como também, realizar a vacinação de forma correta, realizar a cura do umbigo do bezerro com iodo e mata bicheira (manejo que evitará muitos problemas com esse bezerro), realizar uma boa colostragem, ficar atento aos sinais de diarreia nos bezerros e isolar esses animais dos demais – e também iniciar imediatamente o tratamento.

Animais acometidos devem ficar em local limpo e seco, com sombra e água limpa disponível. Não se deve retirar o leite da dieta desses animais, pensando que irá piorar o quadro de diarreia, o leite possui todos os nutrientes necessários para o bezerro nesse momento. Se possível realizar suplementação com concentrado juntamente com o aleitamento. Pois, em alguns casos deve ser realizada a hidratação com soro através de mamadeiras ou sondas esofágicas, em outros casos mais graves é necessário a reidratação via intravenosa.

Algumas outras dicas:

  • A confecção de um banco de colostro na propriedade pode salvar os animais que por algum motivo que não tiveram acesso ao colostro da mãe. Para isso, deve-se congelar o excedente de colostro. Isto é possível pelo motivo da vaca ou a novilha produzir mais do que os 4-6 litros de colostro que o bezerro irá ingerir nas primeiras horas de vida.
  • Este excedente pode ser congelado com a validade de até  1 (um)  ano em um congelador.  Pode ser descongelado em banho maria para a utilização em algum animal que seja necessário. Dessa forma, podemos excluir o problema de uma eventual falta de colostro para ser ministrado em algum recém-nascido, evitando assim que esse animal fique sem imunidade alguma.
  • O ajuste da estação de monta de forma que concentre os partos nos meses de transição seca-águas, pode ajudar a diminuir a ocorrência de infecções nos bezerros – visto que há uma maior incidência dessas diarreias nos meses mais úmidos. Ajustando a estação de monta, os bezerros nascerão em meses com menor umidade e em curto espaço de tempo, estarão comendo um pasto de melhor qualidade que logo virá à rebrotar – e assim esses bezerros terão uma melhor nutrição.
  • Podemos compreender que a vacinação das novilhas e vacas no pré-parto, é fundamental para um bom compartilhamento de anticorpos da mãe para a cria – o que irá ajudar bastante a diminuir a taxa de mortalidade desses animais nesse período.
  • Também se faz necessário termos um bom manejo com os bezerros. Então é fundamental aliarmos essas ferramentas para podermos obter o melhor resultado em nossa cria, para que esses animais consigam desmamar com um bom peso e um bom desenvolvimento. O que será decisivo para um bom rendimento na vida desse animal.

São essas informações que temos para compartilhar hoje sobre esse assunto. Esperamos que tenha sido útil a você. Aproveite que já está aqui e dê mais uma olhada pelo nosso blog, está cheio de textos como esse, que tem como missão ajudar você nosso amigo pecuarista a cada vez mais conquistar resultados melhores.

Nós da JetBov desejamos que a alta lucratividade e a alta produtividade sempre estejam contigo meu amigo produtor!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *