Diagnóstico de Gestação

Tempo de leitura: 6 minutos

Olá leitor e pecuarista, tudo bem? Hoje o assunto do blog é sobre diagnóstico de gestação, uma técnica altamente importante a se conhecer e aplicar no seu rebanho. Já foi o tempo em que se esperava a fêmea apresentar os seus sinais de prenhez. Essa espera a fim de diagnosticar a gestação nos bovinos acarretava em uma demora para iniciar a tomada de decisões dentro da propriedade.
O diagnóstico de gestação é a ação mais importante e recomendada dentro do manejo reprodutivo mesmo não sendo considerada uma obrigatoriedade, é preciso ser realizado depois da época de estação de monta ou da inseminação e também ser realizada por um profissional adequado para tal ação, ou seja, um médico veterinário. Esse profissional necessita dominar bem suas técnicas para obter um resultado preciso.
Através do diagnóstico de gestação, é possível obter todas informações necessárias em aspectos produtivos e reprodutivos do rebanho, avaliando não só a prenhez da fêmea, mas também, todo seu trato reprodutor. Além de auxiliar em decisões através de resultados como o índice de prenhez, fertilidade, perdas gestacionais, e outros, essa técnica de diagnóstico está interligada a eficiência reprodutiva do rebanho.
É viável fazer o diagnóstico o mais cedo possível para que se consiga realizar todo planejamento, decidindo se mantém o animal no rebanho ou irá descartá-lo. Sendo assim, é possível identificar os possíveis problemas previamente, melhorando as questões produtivas e reprodutivas dentro da propriedade. Podem haver casos de problemas que não ocorre a prenhez da fêmea, o médico veterinário neste caso, pode recomendar tratamentos clínicos e até mesmo medicamentos da mesma.
Caso haja a identificação da gestação nas fêmeas, tendo o resultado em mãos, há a possibilidade de manejar melhor o rebanho, pois as fêmeas gestantes necessitam de condições especiais como: manejo em local específico, fornecimento de uma nutrição mais balanceada e de um local adequado para parição das fêmeas.

Quais as técnicas de diagnóstico de gestação?

Bom, há duas formas de realizar o diagnóstico de gestação nas fêmeas: a partir da técnica de palpação retal e a técnica de ultrassom.
A técnica de palpação retal é um método super importante para conseguir identificar as estruturas internas das fêmeas, ou seja, os órgãos. Essa técnica consiste na introdução do braço e da mão do médico veterinário pelo reto do animal. Sua finalidade é fazer o diagnóstico de gestação. É considerada uma técnica bem simples e de baixo custo e tem como vantagem detectar as causas de infertilidade, doenças no útero e ovário da fêmea, estimação da idade do feto, avaliação do ciclo estral, verificar a saúde interna da fêmea, etc.
Essa técnica é um grande desafio visto que pode parecer simples. É necessário que seja feita por um profissional adequado e com bastante habilidade para definir bem todas as características internas do animal e distinguir possíveis alterações que possam ocorrer. A palpação retal deve ser realizada a partir de 45 dias após a monta ou inseminação artificial.
A figura abaixo mostra o método de palpação retal a fim de diagnosticar a gestação bovina. A outra técnica utilizada para diagnóstico das fêmeas é a ultrassonografia, no qual vem sendo cada vez mais utilizada por ser uma técnica muito mais prática e moderna pois, quando ela é corretamente aplicada, apresenta alto grau de exatidão e confiabilidade. Há dois tipos de ultrassonografia: a ultrassonografia modo B e a ultrassonografia modo Doppler.

A ultrassonografia modo B, é definida por ser de imagem preto e branco, sendo uma técnica que tem como vantagem o diagnóstico precoce da gestação, realização da sexagem, analisa a viabilidade do feto, além de verificar as estruturas do aparelho reprodutor do animal. Essa técnica permite uma análise em tempo real. O diagnóstico pode ocorrer por volta dos 28° dias após a monta ou inseminação artificial. O desafio da técnica de ultrassom modo B é o investimento em pessoas capacitadas para identificar as imagens que são formadas e para manusear corretamente o aparelho. Comparada a técnica de palpação retal, a técnica de ultrassom modo B tem seu investimento mais alto devido a aparelhagem utilizada.

O segundo tipo de ultrassonografia, o modo Doppler, se diferencia do modo B pois as suas definições vão mais além. É uma técnica em que o aparelho traduz os movimentos do fluxo sanguíneo do animal apresentado em cores e sons. Ele avalia melhor o corpo lúteo, que é um estrutura de grande importância na fêmea para estabelecer e manter a sua gestação. Além do mais, essa técnica possui uma rápida identificação, diagnosticando a fêmea precocemente, onde já é possível identificar a presença de feto a partir de 19 dias depois da monta ou inseminação artificial. É vantajoso, pois se o animal não emprenhar ele consegue retornar às práticas reprodutivas novamente, o que otimiza o tempo e custo para o produtor.
A desvantagem dessa técnica Doppler comparada às outras técnicas faladas anteriormente, é o valor do equipamento, sendo mais caro devido a técnica utilizada ser mais avançada. Também, é fundamental que o médico veterinário domine a interpretação das imagens, assim como a utilização do equipamento.
Na Figura abaixo encontra-se imagens de ultrassonografia do modo Doppler.
Para ambas as técnicas de ultrassonografia, se tem como vantagem a confirmação da viabilidade fetal, determinação do número de fetos (até mesmo em casos de gestação múltipla), sexagem fetal, avaliação do trato reprodutivo de forma rápida, avaliações do ciclo estral. A ultrassonografia vem ganhando cada vez mais espaço e vem sendo a melhor opção de utilização pelos profissionais por avaliar em nível completo a fêmea gestante e também seu feto.
Você já tinha conhecimento dessas diferentes técnicas de diagnóstico de gestação das fêmeas? Todas essas técnicas têm as suas vantagens e importância. É necessário que você produtor conheça qual delas é a mais adequada e eficiente para seu rebanho e qual é a expectativa que você tem em relação a sua produção.   

Confira outros conteúdos aqui no blog Pecuária do Futuro e tenha mais informações em mãos para tomar decisões assertivas em sua fazenda de gado de corte.

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.