Alta no preço do bezerro é influenciada por baixa oferta e exportações para a China

Tempo de leitura: 3 minutos

Fatores como a desaceleração da economia e o preço da arroba também afetam a reposição de bezerros para os pecuaristas brasileiros

O aumento da população mundial demanda cada vez mais alimentos. Com isso, aumenta também o número de países que importam alimentos, reduzindo o excedente nos países produtores. Exemplo disso é a carne bovina. O Brasil possui o maior rebanho comercial de gado bovino do mundo, sendo também o maior exportador dessa proteína.

Porém, para manter esse mercado em movimento é preciso atenção em todas as etapas da cadeia produtiva, desde a cria, recria e engorda do rebanho. Por isso, pensar estratégias para a reposição de animais no rebanho de corte é essencial.

Entretanto, desde o final de 2019 e com a pandemia do Coronavírus ao longo de 2020, os pecuaristas brasileiros estão com certa dificuldade para repor animais para compor o rebanho. Isso, devido ao aumento no preço dos animais, puxado principalmente pelas exportações para a China.

Assim, um dos principais motivos para os preços elevados dos bezerros é uma menor oferta de animais no mercado, tendo em vista, ainda, o aumento no volume de abate de fêmeas no Brasil. Nesse cenário, há tanto uma menor oferta como uma maior demanda por cria e recria.

Desde janeiro de 2020, de acordo com dados do Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea), o preço do bezerro vem apresentando alta, chegando a custar pouco mais de R$ 2,3 mil por cabeça em outubro, no estado de São Paulo. No Mato Grosso do Sul, alguns animais também chegaram a ser comercializados pela mesma faixa de preço.

Porém, a valorização nos preços da arroba do boi gordo também influenciou a procura por animais de reposição, o que também contribuiu para elevar o preço dos bezerros.

No primeiro semestre de 2020 o dólar destacava valor elevado por conta da pandemia enquanto, ao mesmo tempo, havia uma enorme demanda chinesa por carne bovina. Nesse mesmo período, o preço do boi gordo não tinha oscilado tanto. Já no segundo semestre, com o preço do boi em alta, o valor da exportação estagnou.

Dessa forma, a desaceleração da economia causada pela pandemia da Covid-19 somada aos custos da produção pecuária elevados – sem contar a arroba também em alta e a redução dos preços pagos pela carne bovina exportada – o preço do bezerro para reposição dos pecuaristas também sofreu grandes oscilações no mercado brasileiro.

Para driblar esses gargalos e superar, mesmo que minimamente, os custos da reposição dos animais, os pecuaristas podem visar um aumento de produtividade nas etapas seguintes da cadeia produtiva.

Isso porque o aumento da produtividade pode ajudar a superar o custo da aquisição através do ganho de mais arrobas, otimizando a produção e com mais eficiência logística.

Com o período de chuvas chegando tardiamente na maioria das regiões pecuaristas do país, o desenvolvimento de pastagens também foi limitado. Porém, o setor de bezerros para reposição deve seguir com preços firmes, ainda mais com a vinda de mais chuvas e recuperação das pastagens.

Este conteúdo foi fornecido pela Agro 2.0 e sua produção não é de responsabilidade da JetBov.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *