Sucesso da pecuária pode ser potencializado com boa administração

Tempo de leitura: 3 minutos

Em um propriedade bem gerida, o manejo dos animais e o investimento dos recursos são executados da melhor e mais rentável maneira

Para ter sucesso na atividade pecuária não bastam apenas animais com boa genética. É preciso que a propriedade conte com uma boa administração, evitando prejuízos e otimizando a produção.

Na propriedade, o pecuarista pode ser o gestor, desde que esteja apto a isso. Outra alternativa é capacitar outro profissional para que seja responsável pelo bom andamento das atividades diárias.

Em uma propriedade onde o foco é o gado de corte, por exemplo, é preciso organizar detalhes como a área disponível, pastagens, número de cabeças no rebanho e dados zootécnicos, dentre outros tantos itens que merecem atenção e investimentos.

A partir dessas informações, já se pode definir alguns indicadores de desempenho e construir o alicerce da gestão da propriedade.

Todos esses dados são importantes pois são eles que vão auxiliar na tomada de decisões no negócio, possibilitando a otimização dos recursos ao longo das atividades. Dessa forma, se torna possível estabelecer todo o planejamento da propriedade, bem como um manejo assertivo com os animais.

Numa visão mais ampla, a administração de uma fazenda de pecuária de corte pode ser por meio dos seguintes pontos:

  • diagnóstico das condições da fazenda e do negócio;
  • estabelecer metas, visão de onde se quer chegar;
  • planejar como atingir as metas estabelecidas;
  • definir como controlar o andamento da produção para ver de perto se tudo está correndo como foi planejado.

 

Planejamento e controle na gestão pecuária

O setor da pecuária de corte é uma atividade em constante evolução, com nível de profissionalismo e tecnologia cada vez maior em todas as etapas da cadeia produtiva.

Por isso, é importante ajustar o manejo e o bem-estar animal à tecnologia e conhecimentos que auxiliem a gestão do negócio, modernizando e valorizando a produção. Isso garante ao consumidor um produto final de qualidade e, consequentemente, resulta em lucratividade ao produtor.

Fonte: JetBov

 

Dentre outros pontos para o controle da atividade pecuária, podemos destacar:

  • estabelecer uma visão de futuro, de como espera que o negócio esteja dentro de 5 ou 10 anos;
  • definir o valor agregado dos produtos e como isso será feito, pensando nos processos de cria, recria e engorda, ou se fará todo o processo completo;
  • a tecnologia pode ser aliada do pecuarista em todas as etapas de produção, desde o material genético de ponta até nutrição de qualidade, passando pelo controle sanitário e bem-estar animal;
  • planejamento de como entrar no mercado e qual será o segmento específico: se mercado de commodities ou interno, no nicho de carnes nobres, por exemplo;

 

Indicadores

Alguns indicadores importantes devem ser utilizados no gerenciamento da atividade pecuária, como:

  • ganho médio de peso diário;
  • produção de arrobas/ha/ano;
  • lucro/ano/ha;
  • lotação dos pastos e rotação dos animais na pastagem;
  • taxa de natalidade, desmame e de reposição;
  • gastos por cabeça/mês.

Ao executar a administração com todos esses detalhes da propriedade, o pecuarista consegue alcançar boa produtividade com os recursos bem aplicados e sem desperdícios. Assim, garante-se a rentabilidade e sustentabilidade do negócio.

 

Este conteúdo foi fornecido pela Agro 2.0 e sua produção não é de responsabilidade da JetBov.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *