Como evitar problemas com carrapatos em minha propriedade?

Tempo de leitura: 7 minutos

Olá meu amigo produtor e querido leitor do nosso Blog da Pecuária do Futuro – o blog da JetBov que possui a missão de ajudar seus parceiros a conquistar resultados e lucros maiores.

Hoje vamos abordar um assunto que traz muita perda ao nosso rebanho e ainda pode resultar em doenças que nos trará grandes dores de cabeça, por isso nos cabe um cuidado maior. Como realizar o controle de carrapatos de forma eficaz em nossa propriedade? Se você tem esse problema em sua área ou quer aprender mais sobre esse assunto continue a leitura conosco.

Sabemos que o carrapato pode trazer diversos prejuízos como: perda de peso, prostração, queda de produção de leite, infecções, bicheiras, doenças (Tristeza Parasitaria Bovina, Anaplasmose), e em alguns casos pode levar o animal até a morte.

Fonte:https://www.educapoint.com.br/blog/pecuaria-geral/controle-carrapato-evite-proliferacao/

Tendo conhecimento de todos esses problemas, não podemos simplesmente ignorar os carrapatos em nosso rebanho, ainda mais que em alguns casos as perdas de peso podem chegar a cerca de 40 kg/animal por ano.  Se somarmos isso ao número de animais que possuímos em nossa propriedade, podemos encontrar valores exorbitantes. Então, não podemos deixar esse parasita passar despercebido dos nossos cuidados.

Mas como podemos eliminar esse problema de nossa propriedade?

Para conseguirmos ter eficácia nesse controle não basta apenas matar os carrapatos presentes nos animais, pois cerca de 95% dos carrapatos estão presentes no ambiente (no pasto), e somente cerca de 5% estão nos animais. Muitas vezes ouvimos falar ou presenciamos situações em que os animais são e pouco tempo depois, estão todos infestados novamente. Por isso, é preciso realizar um plano de controle onde realizaremos diversas medidas, para tratar esse problema em nossos animais e posteriormente dos ambientes dos pastos.

É importante ter conhecimento que o ciclo do carrapato é de 21 dias, sendo que no primeiro dia ele vai entrar em contato com o animal para se alimentar do sangue e no fim dos 21 dias ele estará caindo ao solo para depositar os seus ovos, no caso das fêmeas. Os machos irão morrer, mas o nosso grande alvo são as fêmeas que irão infestar os pastos com os novos ovos, dando origem a outra geração, e é isso que devemos impedir.

Outro fator, é o início do ciclo do carrapato, quando temos um aumento da temperatura média dos dias e da umidade relativa do ar, por volta de setembro, outubro – bem no início das chuvas. quando esperamos ter um melhor desempenho em nossos animais pode chegar este problema em nosso rebanho e nos resultar em um menor desempenho.

Fonte:https://independente.com.br/carrapato-nao-tem-pai/ciclo-do-carapato-2/

Devemos começar observar nossos animais já no terço final da seca, procurando por sinais de infestação. O mais indicado seria conseguir separar esses animais em lotes, os sem infestação daqueles que possuem algum nível de infestação. Assim, é possível tratar apenas os animais com infestação. 

O uso indiscriminado de controles químicos podem gerar uma resistência no parasita ao princípio ativo usado como forma de controle. Para evitar isto a EMBRAPA Gado de Leite, possui um programa gratuito de análise de sensibilidade de carrapatos, onde você faz o envio de carrapatos presentes em seus animais para a EMBRAPA Gado de Leite e ela irá realizar uma análise sobre qual o melhor principio ativo realizar o tratamento de seus animais.

Como medida de controle, devemos ter este cuidado logo no início do período das chuvas (o mais indicado seria até mesmo antes deste período). Quando for decidido o princípio ativo a ser utilizado, logo pode ser iniciado o controle – realizando a reaplicação normalmente após 21 dias da primeira, que é o ciclo de vida do carrapato. Assim, visamos matá-lo antes de completar seu ciclo e depositar seus ovos no pasto. Este fator de eliminação pode variar de produto para produto, normalmente os pour on permite um espaçamento maior entre as reaplicações, devido ao seu maior período de atuação no animal.

O intuito do controle logo cedo, é impedir que o maior número de carrapatos consiga completar seu ciclo, impedindo assim que eles depositem seus ovos no pasto, que futuramente darão início a uma nova geração de carrapatos. Desta forma, irá diminuir cada vez mais o número de carrapatos no pasto a cada reaplicação, que é indicada se fazer de 5 a 6 vezes. Em alguns casos pode ser que não precise chegar até esses valores. 

O importante é que após você tratar esses animais, se previna futuras infestações, com um controle estratégico. Isso pode ser feito com o uso de controles químicos que tenham também uma ação na corrente sanguínea do animal, matando os carrapatos que tentarem se alimentar do sangue dele – ou uso de vermífugos de cocho que também vai ter ação no sangue desses animais, matando os carrapatos que tentarem se alimentar. Dessa forma, vamos retirar a infestação desses animais e depois retirar a infestação do pasto,( por isso é importante deixar esses animais pastando nos pastos infestados, até o término do tratamento).

E como podemos evitar essas infestações?

Fonte:https://www.milkpoint.com.br/empresas/novidades-parceiros/prejuizos-e-solucoes-contra-os-carrapatos-dos-bovinos-87873n.aspx

A boa suplementação mineral, irá reduzir bastante o número de animais com infestação, pois o animal bem nutrido tem uma maior resposta imune para qualquer tipo de doença e semelhanças. O animal melhor nutrido poderá não sofrer incidência de infestação por conta de seu próprio organismo não permitir que o carrapato o parasite. Se tivermos histórico de infestação em nossa propriedade podemos realizar já no terço final do período da seca a inclusão de vermífugos de coxo na ração desses animais – evitando esse problema logo antes de acontecer.

É possível realizar o combate nos pastos, eliminando esses parasitas das pastagens, no entanto, a maioria dos produtos tem suas limitações, como a morte dos inimigos naturais dos carrapatos juntamente com eles, ou, o período de carência desses pastos após a aplicação. Já existem empresas desenvolvendo produtos de controle biológicos (alguns já estão até no mercado), onde é inserido nos pastos, fungos e bactérias nocivas aos carrapatos causando a morte desses parasitas.

Tópicos:

  • Sempre tratar a infestação do animal antes de iniciar o controle estratégico.

  • Sempre utilizar EPI durante a aplicação dos carrapaticidas.

  • Aplicar o medicamento no sentido contrário dos pelos do animal.

  • Evitar a aplicação em dias de chuva ou sol forte para evitar a intoxicação desse animal.

  • Procurar o conselho de um Médico Veterinário ao qual tipo de controle utilizar.

  • Procure iniciar o controle de forma estratégica nos meses finais da época seca.

  • Remédios que necessitam ser aplicados em banho, certificar de cobrir todo o animal e atingir toda a pele dele, que o mesmo fique gotejando após o banho.

  • Realizar a aplicação a favor do vento.

  • Ler atentamente a bula do produto.

  • Os animais tratados devem ser levados aos pastos infestados para assim poderem matar os carrapatos daquela área.

  • Realizar o tratamento de infestações em qualquer período do ano em animais que apresentarem alguma infestação, para assim evitar que esses carrapatos aumentem de número nos pastos.

  • Até uma infestação de 35 carrapatos por bovino, ajuda no aumento da resistência do bovino aos carrapatos, dessa forma, devemos tratar apenas animais com valores mais exorbitantes.

E agora, você está munido de informações para acabar com esses parasitas do seu rebanho!

Espero que com essas informações nunca mais esses parasitas se tornem uma dor de cabeça para você. Assim como este texto temos vários outros textos bastantes interessantes em nosso blog, aproveite e dê uma conferida, certamente será de grande valia.

Nós da JetBov desejamos que a alta lucratividade e a alta produtividade sempre esteja contigo amigo produtor!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.