A suplementação de seca compensa?

Tempo de leitura: 8 minutos

Você, nosso leitor, faz o uso ou já ouviu falar sobre a suplementação de seca? Ela existe para evitar que o gado, no período de seca, perca o peso que ganhou durante os períodos chuvosos. Se você não tem muito conhecimento sobre esse tema, continue a leitura para entender um pouco melhor sobre como funciona e quais os ganhos e benefícios da suplementação de seca.
É comprovado por meio de estudos que na época das chuvas as pastagens, que são bem manejadas, são capazes de proporcionar boa nutrição ao rebanho a pasto, requerendo apenas uma suplementação mineral.
Mas já no período da seca, os níveis de proteína, energia e vitaminas são muito reduzidos nas pastagens, tornando necessário realizar uma reposição nutricional por meio de estratégias alimentares capazes de suprir a deficiência de nutrientes na forragem.

O que acontece se não tiver suplementação de seca?

Com o início da estiagem, o crescimento do capim é bastante afetado e faz diminuir a quantidade disponível de forragem, além de tornar o capim mais fibroso e menos nutritivo, um combo de fatores que irá fazer cair o desempenho do seu gado.
Tudo isso contribui para um cenário negativo, resultando em queda de peso, queda de fertilidade e ainda deixando o seu rebanho mais suscetível a doenças, o que faz com que a suplementação na seca seja quase que indispensável, para se manter competitivo na atividade.
Afinal, é importante manter lucros verdadeiros, além de poder aumentar a taxa de lotação da área, melhorar o desempenho do animal, melhorar a qualidade da carne e auxiliar no manejo do pastejo.

Como identificar a necessidade de suplementação?

A necessidade da suplementação varia de acordo com a meta de cada propriedade rural, com o clima, além da quantidade e da qualidade da pastagem. Quando o teor de proteína bruta do capim está abaixo de 7% na matéria seca, o primeiro objetivo do suplemento seria atender principalmente as bactérias ruminais, por meio de fontes de nitrogênio como a uréia ou sulfato de amônio, por exemplo.
Estas bactérias utilizam essas fontes nitrogenadas juntamente com a energia extraída do capim ingerido, fazendo com que haja uma liberação de ácidos graxos que serão transformados em energia para o bovino, o que faz com que quem possua uma forrageira de boa qualidade e não tenha metas de ciclos mais curtos, e nem altos ganhos de peso na época da seca, pode acabar fazendo o uso apenas da ureia e bastante água disponível como suplemento.
No entanto, casos assim da forrageira estar em boas condições para se suplementar apenas com ureia na seca e não ter quedas de desempenho são raras, para isso a forragem tem que ser muito bem trabalhada, muito bem adubada, bem manejada e em alguns casos até irrigada.
E sim, a água disponível para o consumo dos animais sempre será algo extremamente essencial Caso seja escassa em qualquer período, pode trazer perdas enormes no que seriam ganhos de peso. Por isso, sempre é bom adotá-la como um suplemento para que ela não fique esquecida, já que é um fator primordial.
Mas se não for o caso da forrageira estar em boas condições ou boa quantidade disponível, é importante se preparar para uma possível suplementação para que seus animais não percam peso.
Primeiramente, você deve se preocupar com a quantidade disponível de alimento volumoso. Se você tem alimento disponível para todos os seus animais, se você faz o uso do diferimento de pasto, capineira, ou silagem, provavelmente você não terá que se preocupar em vender animais para conseguir passar pela seca com alimento disponível.
E, no caso de propriedades que não tenham metas de ganhos tão elevados na época da seca, talvez apenas o uso do sal proteinado como suplemento já pode trazer uma boa manutenção, fazendo com que os animais não percam peso e garantam ganhos leves nessa fase, em torno de 300 g por dia, o que para alguns produtores é bastante compensatório.
Importante não deixar de mencionar sobre a capineira de cana-de-açúcar, que quando aliada a ureia e o sal proteinado, pode se tornar um bom suplemento de seca para determinadas propriedades.

Suplementação de seca para ganhos de peso consideráveis

Já para além de não haver perda de peso nos animais e ainda garantir que eles ganhem peso na época das secas, é preciso adotar o uso de suplementos concentrados. Esse tipo de suplementação tem consumo pelo gado em torno de 1% do peso do animal vivo, e proporciona ganhos para os animais em torno de 900 g por dia, variando conforme a quantidade fornecida ao animal.
Fazer o uso desse tipo de suplementação é uma carta na manga, que pode te colocar à frente de muitos produtores, fazendo você acelerar o abate de um lote, ou conseguindo colocar mais peso nesses animais, em uma época em que a arroba está mais compensatória.
Porém, deve ser planejada com cuidado, pois deve ser realizada apenas com uma estratégia, haja vista que o preço dessa suplementação é mais elevado e talvez, você acelerar o seu abate ou aumentar o peso dos seus animais para abate, não compense devido ao custo que esta suplementação tem. Por isso, é recomendável procurar auxílio de um profissional zootecnista que irá melhor te informar sobre qual estratégia de suplementação você deve adotar.

Prejuízos em caso da não suplementação de seca

É certo que é necessário adotar algumas dessas estratégias, pois o descuido com a suplementação de seca pode sair caro.
Imagine que em um cenário de 111 dias de período de seca seus animais, sem nenhum tipo de cuidado com suplementação, perca 180 g por dia de peso. No final do período de estiagem, esses animais estarão com -19 kg cada, isso levando em conta uma baixa perda de peso diária, e mesmo assim multiplicada pelo número de animais do rebanho, o prejuízo acaba sendo relevante.
Se considerarmos um rebanho com 100 animais, haverá um déficit de -1.900 kg, que se observado, esse peso com a arroba valendo em torno de R$ 180,00/@, o prejuízo será de 126@ de carne, algo em torno de R$ 22.680. Ou seja, um montante considerável perdido só por não ter sido planejada uma suplementação de seca.
Já apenas fazendo o uso de uma ureia, pode não trazer prejuízos como perda de peso, mas vai ocasionar um prejuízo talvez dependendo da intensificação da sua propriedade, uma vez que não houve produção nesse período.

Impulsionando resultados com a suplementação

Optar pelo uso de um sal proteinado, deve proporcionar ganhos por volta de 300 g/dia, por animal, podendo assim já ser vantajoso, pois além de não perder peso, a produção continuará ativa.
Levando em conta o mesmo cenário anterior, se você possuir 100 animais e suplementar pelos 111 dias da seca, você conseguiria colocar em torno de 33 kg a mais de peso por animal, totalizando em torno de 3.300 kg a mais no seu rebanho. Com a arroba por volta de R$ 180,00, seria um lucro próximo a R$ 39.600, levando em consideração que sem suplementação nenhuma você perderia R$ 22.680, por conta da perda de peso. E com apenas um sal proteinado, você lucra R$ 39.600 a mais do que lucraria utilizando somente a ureia, que por sua vez, só conseguiria manter o peso dos animais. Então torna-se compensatório o uso de algum suplemento, pois nesse cenário acaba que o não usar suplemento e usar o suplemento tem uma diferença de ganho de R$ 22.680 (negativos) e R$ 39.600 (positivos), totalizando uma diferença de R$ 62.280.
E ainda há a suplementação concentrada, que pode trazer ganhos por volta dos 900 g/dia, que no mesmo cenário citado anteriormente, traria em torno de 9.900 kg a mais no rebanho, um lucro de R$ 118.800 a mais que se apenas utilizado a ureia, que manteria o peso, e R$ 141.480 a mais que o não uso da suplementação.

Planeje a suplementação com a ajuda de um profissional

É importante ressaltar que as projeções financeiras citadas aqui no texto foram feitas de modo geral, tendo como base apenas o valor da arroba e o potencial de ganho de peso diário.
Faz-se necessário ter em mente que essa suplementação terá um custo que irá variar de região para região e que deve ser planejada com a ajuda de um profissional zootecnista. Ele irá te auxiliar com base no seu objetivo, valor do suplemento, valor da arroba, e a quantidade que irá ser consumida por animal, além de qual a melhor estratégia de suplementação que você deverá implementar para te trazer o maior lucro!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.