Implementando o ILPF

Tempo de leitura: 10 minutos

Olá amigos produtores e leitores do Blog da JetBov!

Hoje vamos nos aprofundar num tema de grande importância e de enorme retorno para nossa pecuária. Hoje abordaremos o tema Integração Lavoura Pecuária Floresta, ou Sistema Agrossilvipastoril, onde falaremos sobre maneiras de como introduzir ele em nossas propriedades e alguns dos vários benefícios que ele pode trazer para o nosso sistema de produção, continue com a leitura e vem com a gente aprender mais sobre esse tema tão interessante e tão lucrativo.

Todos nós sabemos que o ILPF traz inúmeras vantagens ao nosso sistema, e que uma das principais vantagens é a possibilidade de se recuperar uma área degradada de sua propriedade e ainda ter um rendimento com isso através da venda dos grãos produzidos na parte da lavoura dessa tal integração, mas essa é só uma das varias vantagens econômicas que esse sistema pode trazer para nós, além dessa vantagem de recuperação e lucro, o ILPF pode trazer o conforto térmico aos animais pela sombra proporcionada, e com isso diminuir o gasto energético dos animais em tentar resfriar seu corpo constantemente, fazendo assim esses animais comer mais e ganhar mais peso por dia por conta de comer mais e por gastar menos energia com a regulação de sua temperatura corporal, além de diminuir a emissão de gases de efeito estufa por conta de uma pastagem melhor manejada, e por conta do sequestro de carbono feito pelas árvores presente no sistema, o que pode agregar mais valor para a carne vendida, isso sem falar da possibilidade de se usar linhas de créditos do governo para implantação desse sistema e pelo pagamento por serviços ambientais prestado. Se você quer saber mais sobre o que é o ILPF pode acessar nosso outro post sobre este tema. Se possui mais duvidas corre lá, faça a leitura e volte aqui para descobrir como implantar esse sistema de grande importância econômica.

O ILPF é o plantio de árvores em fileiras normalmente com espaçamentos de 1,5m ou 3m entre as arvores na mesma linha e com o espaçamento de 18m entre as linhas de árvores, quando se usa o espaçamento de 1,5m entre as árvores se tem a intenção de com 5 anos realizar o corte de metade das árvores, sendo esse corte realizado com o padrão de se cortar uma árvore sim e outra não dentro da fileira de árvores, deixando assim o espaçamento de 3m entre as árvores da mesma fileira, fazendo desse modo o produtor já ter um lucro com a venda dessas madeiras já com 5 anos do sistema.

Fonte da foto: John Deere Journal

E sobre o fato de se ganhar dinheiro com a recuperação de suas pastagens com a introdução desse sistema é por conta da maneira que é feita a introdução desse sistema, pois há várias maneiras de se introduzir esse sistema, sendo por etapas ou tudo de uma vez, mas ai vai da escolha do produtor, lembrando que se for realizado a introdução de uma vez o produtor não conseguirá realizar pastejo nessa área por dois anos, será possível apenas ter lavoura nesse tempo, por isso vamos abordar o método de introdução gradual que nos permite a formação de um ciclo, que traz uma boa rotatividade e maior produtividade dentro de nosso sistema.

Para isso o produtor deverá dividir sua área que será implantado o ILPF em 12 partes, começando a implantação pela área mais degradada, nessa área o produtor irá corrigir a fertilidade dessa área com análise de solo e com ajuda de um profissional da área, após isto realizar o plantio das árvores no espaçamento de 1,5m ou 3m entre as arvores na mesma linha e com espaçamentos entre as linhas de 18m e depois plantar o milho entre as linhas de árvores, enquanto isso o gado continua o pastejo nas áreas sem árvores (Nas outras divisões que aguardam ainda a implantação do ILPF), dessa forma com a colheita do milho que foi plantado entre as linhas de árvores o produtor já se tem o retorno do investimento gasto com a recuperação da fertilidade dessa área, mas o produtor ainda vai plantar milho nessa área no próximo ano, o pasto só receberá animais no final da colheita do milho no segundo ano de implantação da área, de forma que no segundo ano de implantação o produtor já faça o plantio dos eucaliptos e do milho na segunda divisão do ILPF, e plante o milho consorciado com alguma forrageira na primeira divisão do ILPF de forma que quando se colher o milho na altura de 60cm para cima já se entre com um gado mais leve nessa área que já estará pronta para o pastejo e com a forrageira com uma boa produção devida a adubação que foi realizada no plantio do milho, e dessa forma vai se progredindo na implantação do ILPF, de forma que no 3º ano a primeira área já estará com animais mais pesados realizando o pastejo, a segunda área já estará com milho consorciado com forrageira para receber os animais leves depois da colheita do milho, e a terceira área estará sendo corrigida a fertilidade e se iniciando a implantação do ILPF, e assim sucessivamente em todas as divisões feitas a cada ano que se passa ate chegar na ultima divisão, ai depois se recomeça tudo de novo a partir da primeira divisão onde já chegou a hora de vender as árvores daquela área.

O ato de se dividir a área em 12 partes é pelo fato de se colher o eucalipto com 12 anos agregando um maior valor a ele e por criar um ciclo dentro da propriedade onde todo ano se tem a venda do milho trazendo um retorno econômico (ou utilizando para silagem ou ração, mas de toda forma há um retorno econômico pela diminuição de gastos com a compra de tal alimento), e se você escolheu o espaçamento de 1,5m entre árvores a partir dos 5 anos você irá possuir todo ano a venda de eucaliptos destinados a carvão, mourões, ou postes de energia, e a partir dos 12 anos de sistema você irá possuir todo ano a venda de eucaliptos destinados a serraria também que possui um valor agregado maior.

Eucalipto cultivado em sistemas ILPF.
Fonte da foto: Summit Agro

Mas se deve ter cuidado com a escolha do espaçamento de 1,5m, pois o manejo dessa área toda dos 5 anos para frente já exigirá um time operacional maior e o produtor já deve ficar ciente disto, pois irá chegar um ponto que o sistema irá estar entregando todo ano madeira de 5 anos, madeira de 12 anos, milho solteiro, milho consorciado, venda de animais, e entrada de animais, além de no 12º ano já ser necessário voltar para a primeira área, retirar os tocos, e iniciar novamente o ciclo. Esse padrão de venda de madeira todos anos com certeza irá te agregar um valor maior na venda da madeira por conta da venda constante, assim como sua produtividade irá ir lá em cima por hectare, mas devemos ver nossas limitações e ter ciência se conseguimos mesmo já entrar nesse sistema desse modo tão intensificado, pois é possível também utilizar o espaçamento de 3m e ter venda de madeiras só a partir do 12º ano, assim como também é possível no segundo ano de implantação da área ao invés de se plantar o milho consorciado só plantar a forrageira e esperar ela chegar a altura de entrada, claro que isso poderá diminuir pela metade a receita desse sistema, porem irá estar te treinando para implantar o espaçamento de 1,5m e milho consorciado posteriormente no meio do ciclo ou no próximo ciclo, comentamos esse formato super produtivo apenas para te mostrar o quanto produtivo esse sistema ILPF pode ser, cabe a você a melhor maneira de se implantar na sua propriedade, assim como você pode realizar a implantação toda de uma vez e nos dois primeiros nos você se preocupar apenas com a venda do milho (ou estocagem), e depois de 12 anos preocupar com a venda de madeiras, ou depois de 5 se realizar a implantação com 1,5m de espaçamento.

Mas nem tudo são grandes maravilhas, para esse sistema funcionar corretamente alguns cuidados deve ser tomados com cautela, como a boa adubação e correção do solo no momento da implantação, a rotação do gado nessa área para se respeitar as alturas de entrada e saída das forrageiras para evitar a degradação da pastagem, realizar a adubação de manutenção nas áreas implantadas anteriormente, realizar o plantio das fileiras de árvores no sentido LESTE-OESTE para não ocorrer sombreamento excessivo nas culturas entre as árvores, porém em terrenos com relevos acidentados as fileiras devem ser plantadas em nível para garantir a preservação do solo e com isso o espaçamento entre fileiras vai para 30m+/- entre linhas de árvores, sempre deve ser tomado o cuidado de nos primeiros anos de implantação das áreas do ILPF o pastejo ser realizado por animais leves, e respeitar a altura de saída para não prejudicar o estabelecimento da forrageira nessa área.

Mencionamos o eucalipto como a árvore utilizada no ILPF, mas apenas por ser uma árvore de fácil venda e maior uso, mas existem varias árvores possíveis para se utilizar nesse sistema, elas apenas precisam atender alguns requisitos, como: rápido crescimento; boa qualidade de serapilheira (baixa relação Carbono/Nitrogênio); menor interceptação pluviométrica e de luz; folhas finas; copa rala e reduzida, e com fuste longo.

Alguns exemplos:

  • Eucalipto
  • Acácia mangium
  • Acácia negra
  • Bracatinga
  • Grévilea
  • Angico-mirim
  • Angico-vermelho
  • Araucária
  • Amoreira
  • Gliricídia
  • Leucena
  • Pinus
  • Coqueiro
  • Cedro-australiano

E sobre as forrageiras a serem utilizadas existem algumas com melhor adaptação ao sombreamento, são elas:

  • Braquiária decumbens
  • Marandu
  • Quicuio da Amazônia
  • Colonião
  • Tanzânia
  • Mombaça
  • Aruana
  • Vencedor
  • Bufell
  • Estrela

Sendo a Braquiária decumbens e o capim Marandu os mais recomendados.

Conseguimos te dar outra visão do ILPF amigo produtor? Agora você vê o ILPF como um sistema que pode trazer muito lucro e muita produtividade? Esperamos que sim, pois esse sistema pode trazer muitos benefícios para o sistema de produção, esperamos que conseguimos também te dar uma ideia de como implantar ele em sua propriedade. E agora aproveita que já terminou a leitura deste texto e de uma olhada em nossos outros textos aqui do Blog da JetBov tem muitos outros assuntos bastante interessantes, além de nosso incrível software de gestão de pecuária lucrativa, você ainda não conhece? Então corre lá e vá se informar sobre essa poderosa ferramenta da pecuária do futuro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *