Que cuidados tomar com o bezerro, do nascimento até o desmame?

Tempo de leitura: 5 minutos

Se o seu objetivo é garantir a continuidade da genética do seu rebanho, ou garantir a reposição dos animais, você precisa ter uma atenção redobrada aos bezerros, pois é ali que está o futuro do seu rebanho.

Da mesma forma, se você faz melhoramento genético, ou se apenas cruza animais com o objetivo de manter vacas lactantes, o bezerro também é importante, pois pode obter lucro com a evolução ou com a venda desse animal.

Mas que cuidados você precisa tomar com os bezerros nascidos na sua fazenda?

Cuidados pré-parto

Na realidade, os cuidados com os bezerros podem ser tomados antes mesmo destes nascerem.  Um ponto de grande importância é a boa nutrição e saúde da mãe, pois isso reduz drasticamente as chances que a matriz aborte o bezerro por conta de deficiência de nutrientes.

Além de reduzir as chances de aborto, se a vaca não parir enquanto estiver muito magra, terá um ganho de peso muito maior e mais rápido pós-parto, além de produzir mais leite (e também passará ao bezerro uma excelente imunidade passiva, principalmente se também for feito o uso de vacinas profiláticas).

O touro utilizado para a cobertura ou para o uso do sêmen também deve ter um cuidado especial, sendo crucial ser feita a verificação se este é um touro saudável, que não possui deficiências que possam ser passadas para o seu filho.

Fonte: Adobe Stock

 

Cuidados ao nascimento

Se você tem condições de estimar a data de nascimento do bezerro, o ideal é colocar a vaca em observação, e acompanhar o trabalho de parto, estando pronto para realizar alguma medida auxiliar caso esta seja necessária.

Importantíssimo: a grande maioria dos pecuaristas não esperam a última contração da vaca que está em trabalho de parto, puxando o bezerro de dentro da mãe. Essa ação pode causar estresse na vaca, e não deve ser realizada. Estudos recentes (CRV Lagoa) mostram que 95% das vacas precisam parir sem ajuda externa, e que isso tem impacto direto no desenvolvimento do bezerro.

Outra ação que pode reduzir drasticamente o stress pós-parto sofrido pela vaca é não separar a vaca do rebanho/lote.

Importante também é acompanhar se a vaca deu atenção à cria ou se a abandonou pós-parto, pois é de extrema importância que o bezerro faça sua primeira mamada o mais rapidamente possível, porque é através do colostro (o primeiro leite da mãe) que o bezerro recebe uma grande dose de anticorpos, fornecendo imunidade passiva a uma série de doenças. O colostro auxilia a evitar a diarreia nos bezerros, que é uma das maiores causas de mortes de bezerros neonatos.

Caso a mãe tenha rejeitado a cria, é necessário administrar este colostro rapidamente, retirando o leite da mãe e dando ao bezerro através de mamadeira, nas 6 primeiras horas de vida do animal. A quantidade recomendada é de 20% do peso vivo do bezerro. Algumas pesquisas recentes mostram que uma segunda administração de colostragem, após 12 horas do nascimento, contendo 14 a 15% do peso do animal, pode trazer excelentes resultados.

Fonte: Adobe Stock

 

Cuidados após o nascimento

Passados os primeiros momentos após o nascimento, ainda são necessários outros cuidados, como a cura do umbigo, sem contar com a nutrição do bezerro.

A cura do umbigo pode ser realizada com iodo, colocando cerca de 3 dedos de iodo em um recipiente e embeber o umbigo do bezerro por cerca de 2 minutos, repetindo este processo durante 4~5 dias consecutivos. Dessa maneira, evita-se a passagem de microrganismo para o bezerro através do umbigo, evitando vários tipos de doenças.

É também de extrema importância a boa higiene da instalação onde está o bezerro, dos utensílios utilizados e do pessoal que lida com o animal recém-nascido.

A nutrição é um item fundamental para o bom desenvolvimento dos bezerros. Caso esses animais forem ser separados da mãe, ou não for reservado um teto sem ordenha para o bezerro poder se alimentar, é importante dar uma atenção maior à nutrição deste bezerro com o fornecimento de pelo menos cerca de 10% do seu peso vivo em leite ou sucedâneo por dia (aproximadamente 4 litros), dividido em duas vezes na primeira semana de vida e em uma vez a partir da segunda semana de vida.

Importante também é garantir que  na sua primeira semana de vida tenha água disponível para o animal, tendo sempre o cuidado desta água estar limpa e ser renovada frequentemente.

Fonte: Adobe Stock

 

Desmame e bezerreiro

A partir da segunda semana de vida do bezerro já se pode realizar o fornecimento de dieta sólida, no caso, concentrados e volumosos de boa qualidade juntamente com o aleitamento, este podendo ser interrompido a partir do momento que o bezerro começar a consumir cerca de 600g a 800g de dieta sólida, ou quando o bezerro chegar na sua 8ª semana de vida, que já não se faz mais necessário continuar com a dieta liquida, e não há a necessidade de se realizar o desmame de forma gradual, podendo ser realizado de forma abrupta.

Nos bezerreiros, no caso das propriedades que os utilizam, é importante ter o cuidado de serem sempre bem higienizados e evitar a presença de lama no local, e é recomendado o uso de bezerreiros individuais até os 60 dias de idade do bezerro, com o intuito de diminuir a disseminação de doenças.

Após este período, os bezerros já podem ser remanejados para bezerreiros coletivos. Reforçando: essa mudança não deve ser feito logo após o desmame, pois assim reduz-se possíveis estresses nestes animais.

E você produtor que trabalha com a cria de bezerros ou interessados. Gostou das nossas dicas ou já as utilizam? Gostariam de saber mais sobre as outras fases? Deixe suas impressões nos comentários!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *