Vantagens e Desvantagens da Inseminação Artificial em Bovinos

Tempo de leitura: 4 minutos

A inseminação artificial é o ato de colocar o sêmen do boi no aparelho reprodutivo da fêmea quando detectado seu período fértil, mais conhecido como cio, sem que o macho tenha contato com a fêmea.

Existe também a IATF, Inseminação artificial em tempo fixo, que consiste no controle do cio dos animais através de fármacos, possibilitando que a inseminação seja realizada na mesma época/dia, e que a concepção de novos animais pelo rebanho esteja garantida. A IATF permite também saber a época de parição dos animais, podendo ter um maior controle dos nascimentos e uma padronização maior do rebanho.

Existe um certo cuidado que devemos ter quando se trata da inseminação artificial. É importante identificar as fêmeas que estão no cio, para só depois inseminá-las, pois de outra forma, o espermatozóide bovino será perdido.

Mas afinal, quais são as vantagens e desvantagens da inseminação artificial?

A inseminação traz inúmeros benefícios, como: melhoramento genético, cruzamento entre raças, uso de reprodutores após a morte e de animais incapacitados para monta, diminuição no risco de acidentes em geral, prevenção de doenças sexualmente transmissíveis, padronização do rebanho, melhor controle zootécnico, dentre outros.

Explicando um pouco melhor no que diz respeito ao melhoramento genético, temos um retorno mais rápido e mais eficaz, pois podemos utilizar o sêmen de um touro mais adequado ao objetivo, por um custo menor.

Quanto ao cruzamento de raças, podemos cruzar animais que teriam dificuldade na monta natural, por não se adaptarem ao clima da região, e obter êxito nesse cruzamento. 

Reprodutores que já faleceram podem continuar reproduzindo, pois é possível utilizar seu sêmen após a morte, através de técnicas de estocagem e armazenamento.

Assim como também é possível o uso de sêmen de animais superiores geneticamente, que pela idade e/ou doenças não conseguem mais realizar monta natural. Lembrando que o ideal é sempre buscar por animais saudáveis que não possuam doenças genéticas.

A inseminação artificial facilita o trabalho e permite um maior controle zootécnico, já que o produtor saberá quando foi feita a inseminação e para quando está previsto o nascimento dos bezerros, além do controle dos touros que foram usados. 

Desvantagens da inseminação artificial

Quanto às desvantagens da inseminação artificial, podemos citar o custo para aquisição dos equipamentos por alguns produtores, falta de mão de obra qualificada, investimento de tempo e atenção na identificação do cio, para que seja o mais assertiva possível, além da necessidade de cuidados sanitários com os equipamentos e animais.

Falando sobre os equipamentos, existe um custo elevado para aquisição inicial, além de itens que precisam ser renovados de acordo com o uso e o tempo, como as luvas, bainhas, nitrogênio do botijão que armazena o sêmen, dentre outros.

Já a falta de mão de obra qualificada e a falta de conhecimento podem gerar prejuízos, isso porque cerca de 50% do êxito da inseminação artificial depende da mão de obra. Caso a pessoa não seja qualificada para o serviço, o trabalho será perdido.

Devemos identificar as fêmeas que estão no cio para só depois executar a inseminação. É comum o uso de rufiões para facilitar essa identificação. Quando não são usados esses animais, é necessário que o colaborador da propriedade faça visitas regulares ao piquete das fêmeas, a fim de observar mudanças de comportamentos como micção e mugidos com maior frequência, além de inchaço da vulva e presença de muco.

Lembrando que se o cio do animal foi identificado pela manhã, a inseminação deve ser feita pela tarde, e caso seja identificada no período da tarde, deve ser feita pela manhã. Isso porque o momento ideal para inseminação em bovinos é de 18 a 24 horas após o início do cio.

Quanto aos cuidados sanitários, é recomendado a prática de sanidade e higiene tanto dos animais quanto dos materiais que são utilizados. O manuseio dos botijões que contém o sêmen deve ser bem feito, para que seja realizado descongelamento correto, isso porque, caso o sêmen seja descongelado de forma brusca o mesmo será perdido. 

Para que a técnica seja realizada de forma adequada e exista êxito na inseminação, busque sempre por mão de obra qualificada, pessoas que tenham curso ou mesmo profissionais da área zootécnica.

O uso de uma plataforma de gestão para fazendas de gado de corte, como a JetBov, proporciona um controle maior dos manejos de inseminação, da entrada e saída de insumos, assim como do desempenho de determinados sêmens e animais. Com essas informações, as tomadas de decisão da sua propriedade podem ser feitas de forma mais assertiva, obtendo melhores resultados.

Fale agora mesmo com um de nossos especialistas e solicite uma demonstração da JetBov!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.